A MULHER DA MEDICINA MODERNA

Você é uma mulher da medicina moderna?

A “curandeira” é um dos arquétipos femininos mais esquecidos e reprimidos da história humana. Ela é a mulher sábia, a visionária, a vidente, a intuitiva, a curadora, a sacerdotisa sexual e detentora da verdade.

Ela possui os dons de cura energética e consciência expandida. Ela vê o passado e o futuro e vê profundamente o coração dos outros. Sua paixão é servir e restaurar a harmonia, o equilíbrio e a cura para a humanidade e para a Terra.

Ela é o nosso aspecto que está pronto para retornar como parte de um maior despertar humano. Em nosso passado pré-patriarcal, durante discutíveis centenas de milhares de anos, a curandeira ocupou uma posição célebre em sua sociedade. Ela serviu sua comunidade em todas as partes do globo de inúmeras maneiras como xamã, mulher sábia, parteira, herborista, oráculo, sacerdotisa, dançarina sagrada, vidente e rainha.

Seus dons de visão e cura foram honrados e integrados na própria vida daqueles a quem ela servia. Ela trouxe sabedoria e humildade para governantes poderosos por meio de seus dons de oráculo que trouxeram orientação do espírito. Ela cuidou da adoração da Deusa honrando os ciclos e a fertilidade da Terra. Sua visão xamânica de longo alcance era um antigo remédio para a alma. Seus mitos e histórias restauraram o significado até mesmo ao sofrimento mais profundo. Ela possuía as chaves de seu poder sexual e da união divina entre masculino e feminino.

Por um tempo, em muitas culturas, seu arquétipo foi suprimido, condenado, punido, distorcido e eventualmente esquecido, pois os sistemas patriarcais de governo por meio da dominação negaram o valor do feminino e denegriram as mulheres e a Terra como maligna e inferior. O coração do poder feminino foi esquecido e até as mulheres se esqueceram de se ver como poderosas.

No entanto, a Mulher da Medicina está voltando. Milhões de mulheres neste planeta mantêm este arquétipo bem no fundo de seus corações e úteros. Muitos carregam as memórias de seus antigos poderes e das muitas vidas que viveram para expressar esses poderes em serviço. Eles também carregam a ferida de serem negados, punidos e reprimidos por quem eles eram por direito.

Agora eles estão prontos para emergir novamente na complexidade do mundo moderno. Um mundo onde algumas mulheres desfrutam de liberdades incomparáveis ​​e outras ainda vivem em um estilo medieval de supressão de seus direitos. No entanto, o que todas essas mulheres têm em comum é que, em seu mundo, a curandeira ainda não foi abraçada como uma expressão autêntica e alegre do poder feminino.

Vivemos em um mundo dominado por um lado pela religião e por outro pela racionalidade e ciência. Nenhum desses paradigmas convencionais reconhece a magia, o mistério, a natureza intuitiva, o poder de cura e a veneração pela Terra e pela humanidade que é inato à curandeira.

Não podemos esperar que nos digam que existimos ou recebamos permissão para expressar nosso poder novamente. Sabemos que temos poder e que somos necessários. E se nossas almas escolheram retornar agora, é por um propósito elevado, que só nós podemos descobrir. Cabe a nós examinar nossas verdadeiras motivações e paixões, nos reconhecer como curandeiras, nos curar e descobrir como nossa paixão pela vida se torna nosso propósito sagrado.

Somos professores, curandeiros, conselheiros, guias, treinadores, cerimoniosos, ativistas sociais, empresários, visionários, comunicadores e artistas. Mantemos nosso arquétipo da Mulher da Medicina nas esferas pública e privada.

Fomos educados e criados em um paradigma masculino.

Precisamos lembrar quem somos e reavivar nossos poderes e paixão inatos. Quando fizermos isso, nosso trabalho trará o equilíbrio e a cura necessários para o mundo.

Por: Diana Beaulieu

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s